Tradução: “O enterro prematuro”, Edgar Allan Poe

Edgar Allan Poe dispensa apresentações, mas sobre O enterro prematuro (The premature burial), conto de 1844, vale fazer algumas observações. Como o próprio título anuncia, o conto trata de… enterros prematuros — da situação de pessoas serem, por engano, enterradas vivas. Logo nas primeiras linhas, depois de relembrar diversas tragédias coletivas que atraem a curiosidade […]

O escritor e o mundo – breve comentário sobre a leitura dO arquipélago, vol. 3, de O tempo e o vento

Continuando a leitura de O tempo e o vento, agora chegando ao fim do último livro, intensifica-se, na voz de Floriano Cambará, a narração da construção do romance. Desde que surgem os “Cadernos de pautas simples” os leitores passam a acompanhar um texto em primeira pessoa do filho de Rodrigo Cambará, que se manifesta e […]

A formação das ilhas – breve comentário sobre a leitura dO Arquipélago, vol. 2, de O tempo e o vento

O arquipélago vol. 2, de Erico Verissimo, sexto livro da sequêcia O tempo e o vento, continua a narrar a história da família Terra-Cambará. A partir da volta de Rodrigo Cambará a Santa Fé por motivos de saúde, os filhos se reencontram e dividem novamente a mesma casa, como se esperassem apenas o momento da […]

A construção das pontes – breve comentário sobre a leitura de O Arquipélago, vol. 1, de O tempo e o vento

“— Uma das coisas que mais me preocupam — diz Floriano — é descobrir quais são as minhas obrigações como escritor e mais especificamente como romancista. Claro, a primeira é a de escrever bem. Isso é elementar. Acho que estou aprendendo aos poucos. Cada livro é um exercício. Vocês devem conhecer aqueles versos de John […]

A batalha da madeira

Se Pedro Álvares Cabral precisasse contratar um marceneiro para fazer os navios de sua expedição, talvez o Brasil nunca tivesse sido descoberto. Esses curiosos e peculiares profissionais, parece, são os mais inacessíveis da cadeia alimentar. Você pode ligar, você pode insistir, você pode mandar longas sequências de mensagens e até ir bater na porta deles, […]

O texto que não consigo escrever – algumas palavras sobre Vozes de Tchernóbil

Recentemente li Vozes de Tchernóbil, da ucraniana Svetlana Aleksiévitch. A cada página virada tinha certeza de que “preciso escrever sobre esse livro”. Dezenas de trechos destacados, comentários em garranchos nas bordas e algumas tentativas fracassadas depois, compreendi que isso não será possível. Não será possível porque, como leitora, coloco-me na mesma posição da autora e […]

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo