O parágrafo um: Sangue sábio

1
Hazel Motes sentou-se inclinado para a frente no assento de veludo verde do trem, olhando fixamente, ora a janela, como se quisesse se atirar para fora, ora o fundo do corredor do vagão. O trem corria em meio aos topos das árvores, que se abriam em clareiras deixando aparecer o sol, vermelho vivo, na orla das matas ao longe. Em primeiro plano, os campos arados faziam curvas e desapareciam, e os porcos fuçando os sulcos na terra eram como grandes pedras manchadas. Mrs. Wally Bee Hitchcock, sentada de frente para Hazel, comentou que achava aquela hora do cair da tarde a mais bela do dia e perguntou-lhe se concordava com ela. Era uma mulher gorda, com um vestido de gola e punhos cor-de-rosa e tinha pernas em formato de pêra que se projetavam para fora do assento sem, contudo, alcançar o piso do vagão.
Flannery O’Connor (1952)

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *